fbpx
História e Arqueologia

Cemitério de barcos Vikings com desenhos incomuns intrigam arqueólogos

Arqueólogos concluíram um novo estudo sobre os barcos de pedra da Era Viking encontrados à leste da Dinamarca na ilha de Hjarnø. Durante as pesquisas eles analisaram as origens e também a composição do cemitério e algo chamou bastante a atenção.

Arqueólogos da Universidade Flinders (Austrália) e da Wessex Archaeology (Reino Unido) iniciaram uma pesquisa com o objetivo de determinar se uma ilustração do local que havia sido concluída em 1650 pelo antiquário Ole Worm era realmente precisa.

Algo completamente incomum para a época

De acordo com a lenda, os monumentos do cemitério homenageiam um rei chamado Hiarni. Os pesquisadores, no entanto, ficaram intrigados com a maneira em que os monumentos estavam dispostos sobre o solo.

O desenho de Kalvestene é bastante incomum quando comparado a outros locais dinamarqueses do mesmo período. Normalmente os desenhos formam estruturas de pedra circular, oval ou triangular. No entanto, ao invés disso, a estrutura demonstra paralelos com sítios descobertos no sul da Suécia formando cerca de 20 barcos de pedra.

“Nossa pesquisa identificou duas novas áreas elevadas que poderiam de fato ser barcos de pedra que se alinham com os desenhos de Worm de 1650. Uma parece ser um barco de pedra típico e a segunda permanece ambígua, mas é impossível saber sem escavação e pesquisa adicional”, revelou a Drª Erin Sebo da Universidade Flinders

Os novos indícios de barcos de pedra encontrados pelos pesquisadores em Kalvestene. Crédito: Universidade Flinders

O professor que coordena o Programa de Arqueologia Marítima na Faculdade de Humanidades, Ciências e Artes, Jonathan Benjamin, ainda explicou que estudos estão sendo feitos para descobrir mais detalhes sobre os barcos de pedra e a maneira que foram colocados no local.

 “Uma pesquisa arqueológica foi realizada em 2018 para registrar as características dos barcos de pedra e sua posição na paisagem costeira de Hjarnø. Cada pedra foi medida e desenhada junto com os dados que adquirimos por meio de fotografia de baixa altitude para fornecer a paisagem, em conjunto com o levantamento de sonar em águas próximas ao sítio viking, para verificar se há material culturalmente significativo, mas nenhuma indicação disso foi localizada durante a pesquisa.”, afirmou.

Leia também: A triste história de Sigurd Ring, pai do viking Ragnar Lothbrok

VEJA TAMBÉM:
Botão Voltar ao topo