fbpx
NetflixSéries

The Last Kingdom: A história real de Alfredo de Wessex

Durante as primeiras temporadas da série “The Last Kingdom” os fãs puderam conhecer um dos personagens mais marcantes da trama. O Rei Alfredo sempre lutou pela unificação dos reinos e sua história real é bastante significativa.

Conhecido como Alfredo, o Grande, ele governou Wessex entre os anos de 871 a 899. Também foi rei dos anglo-saxões entre 886 a 899. Detalhes sobre a sua história foram encontrados nas crônicas do cronista galês João Asser, bispo de Sherbone.

De acordo com as crônicas, Alfredo era um homem misericordioso e muito culto. Durante o seu reinado, ele incentivou a educação e também melhorou o sistema legal e a estrutura do reino.

Infância

Alfredo nasceu em Wanating, localidade que atualmente é conhecida por Wanatag, localizada em Oxfordshire. Ele era o filho mais novo de Etelvulfo, rei de Wessex com a sua primeira esposa chamada Osburga.

No ano de 855, o jovem Alfredo foi levado aos 4 anos de idade para Roma. No local, ele foi ungido como rei pelo Papa Leão IV. Muitos historiadores vitorianos consideram essa uma espécie de ‘coroação antecipada’ para a sucessão do jovem ao trono de Wessex.

Na época, no entanto, essa sucessão não poderia ter sido prevista já que Alfredo tinha três irmãos mais velhos. No ano de 856, durante o seu regresso de Roma, Etevulfo acabou sendo deposto por seu filho chamado Etelbaldo.

O pai de Alfredo morreu em 13 de janeiro de 858. Após a sua morte, o reino de Wessex foi divido entre seus três irmãos, Etelbaldo, Etelberto e Etelredo. Posteriormente em 868, Alfredo lutou ao lado de seu irmão Etelredo contra o Grande Exército Pagão, liderado por Ivar, o Desossado.

Em 870, os dinamarqueses conseguiram chegar à sua terra natal. O ano seguinte foi apelidado de ‘ano das batalhas de Alfredo’, onde ele conseguiu obter resultados diferentes em cada uma delas.

Em 871, seu irmão Etelredo acabou morrendo e Alfredo o sucedeu no trono de Wessex. Os nórdicos então conseguiram assegurar a sua invasão durante a Batalha de Wilton. Neste momento, Alfredo percebeu que não tinha opção a não ser realizar um acordo com os vikings.

Os termos do acordo não são claros, mas acredita-se que o rei de Wessex cedeu terras e também pagou para que os pagãos deixassem o reino. Um breve período de paz foi instaurado e os vikings voltaram a atacar somente em 892.

Estratégias para conter os ataques vikings

Percebendo que os nórdicos estavam novamente insistindo nos ataques, Alfredo preparou o reino construindo fortificações e também treinando os soldados. Ele saiu vitorioso durante várias batalhas e se proclamou o protetor dos cristãos.

O rei também pavimentou o caminho rumo a uma Inglaterra unificada, fato concretizado através de seus filhos e netos.

Morte

A morte de Alfredo ocorreu em 26 de outubro de 899. A causa principal de seu falecimento é desconhecida. Durante toda a sua vida ele sofreu com uma doença descrita como ‘desagradável e dolorosa’. Muitos historiadores acreditam na possibilidade de o grande rei ter sofrido da doença de Crohn ou até mesmo uma doença hemorroidal.

Veja também:

Vikings: A história real de Egberto, rei de Wessex

A história real de Thomas Shelby e os ‘Peaky Blinders’

Vikings: A história real de Ragnar Lothbrok, rei da Dinamarca e Suécia

VEJA TAMBÉM:
Botão Voltar ao topo